Política

O vice-primeiro ministro italiano aproveitou o momento do desastre da ponte em Génova para apontar o dedo à União Europeia. Salvini questiona se as restrições externas impediram a segurança nacional.