Direção do Sporting pede assembleia-geral extraordinária

A direção do clube solicitou a convocação de uma assembleia-geral extraordinária com a maior brevidade.

O conselho diretivo do Sporting pediu a Jaime Marta Soares a convocação de uma assembleia-geral extraordinária, “a ser marcada o mais breve possível”. O objetivo é “analisar a situação atual do clube, auscultar os sócios e dar todas as explicações que estes entendam necessárias”. A informação foi avançada num comunicado publicado no site do clube, onde se lê ainda que a SAD do Sporting apresentou queixa do ocorrido esta terça-feira em Alcochete, em que meia centena de pessoas terão invadido a Academia e agredido jogadores e equipa técnica.

Assim, este pedido surge na sequência das agressões à equipa e plantel do clube, que ocorreram esta terça-feira ao final da tarde. “O clube é dos sócios e estes devem, em momentos relevantes, ser sempre ouvidos. Neste sentido, enviámos hoje ao Senhor Presidente da Mesa da Assembleia-Geral do Sporting Clube de Portugal, um pedido de assembleia-geral extraordinária a ser marcada o mais breve possível, para analisar a situação atual do Clube, auscultar os sócios e dar todas as explicações que estes entendam necessárias”, indica o comunicado, dividido por sete pontos.

A direção do Sporting, além de reiterar a condenação à invasão e ao ataque desta terça-feira em Alcochete, vem ainda solidarizar-se “com todas as vítimas deste ataque atroz e inqualificável, manifestando-lhes” todo o apoio. “As forças policiais e de justiça atuaram pronta e diligentemente. Temos que perceber agora todos os contornos desta ardilosa situação, rápida e serenamente. Se se vier a comprovar que os autores deste ato ignóbil foram sócios do nosso clube, enviaremos de imediato a respetiva participação para o conselho fiscal e disciplinar para que nos termos estatutários se promova a expulsão dos infratores”, sublinha a nota.

A direção repudia também as “declarações e insinuações indecorosas” sobre o envolvimento de Bruno de Carvalho, presidente, neste “ato horrendo”. E acrescenta: “Sublinhamos a tomada de posição pública dos jogadores que reflete o compromisso assumido na reunião da passada segunda-feira, entre a comissão executiva da SAD e os atletas, e ontem referido pelo presidente na sua declaração à Sporting TV, e hoje corroborado pelos atletas, apesar dos horrendos acontecimentos”.

Em relação às detenções desta quarta-feira, incluindo um diretor do Sporting, o clube escreve que “não se revê em atos que desvirtuem a verdade desportiva”. Em causa, suspeitas de um alegado esquema de corrupção relacionado com a compra de árbitros no andebol e noutras modalidades, onde se inclui o futebol.

“No que respeita às diligências levadas a cabo hoje pela Polícia Judiciária, nas instalações do Sporting, reafirmamos a nossa total disponibilidade em colaborar com a investigação para que se possa apurar toda a verdade. O Sporting pauta a sua atuação pelo respeito pela legalidade, transparência e lisura de todos os seus atos”, frisa.

“Aguardamos serenamente o desenvolvimento da investigação, salientando no entanto que a presunção de inocência é um direito elementar que assiste a qualquer cidadão, sendo pedra basilar do Estado de Direito. Queremos manifestar a nossa solidariedade aos colaboradores envolvidos e reiterar o nosso apoio às equipas de Andebol e Futebol que venceram os seus jogos com profissionalismo, atitude e compromisso”, conclui o comunicado publicado esta quarta-feira.

(Notícia atualizada às 21h32 com mais informações)

Comentários ({{ total }})

Direção do Sporting pede assembleia-geral extraordinária

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião