Já conhece a nova concorrente do LinkedIn? Chama-se Powerupp e é… portuguesa

  • Rita Frade
  • 22 Março 2018

O Facebook tem mais um aliado. Chama-se Powerupp e pretende "fazer concorrência ao LinkedIn".

Desenvolvida pela startup portuguesa uppOut, a Powerupp é a mais recente aliada do Facebook contra o LinkedIn. Trata-se de uma aplicação que, segundo um dos fundadores de ambas as empresas, Ricardo Paiágua, pretende, precisamente, “fazer concorrência ao LinkedIn” como uma rede social profissional.

Lançada esta segunda-feira, a Powerupp diferencia-se do LinkedIn pelo facto de não permitir uma “troca de likes ou endorsements skills“, refere o blogue da uppOut. O objetivo? Impedir que um utilizador recomende outro, numa competência em que afinal não é assim tão bom, só para retribuir o gesto do anterior.

O LinkedIn é a feira das vaidades“. Quem o diz é Ricardo Paiágua, acrescentando que “os perfis das pessoas estão banalizados porque todas são boas em tudo, endorsements para cá e para lá sem qualquer justificação“.

A Powerupp é uma aplicação, desenvolvida pela startup portuguesa uppOut, que pretende “fazer concorrência ao LinkedIn”.Powerupp

O algoritmo da Powerupp foi, assim, feito de forma a que qualquer utilizador possa recomendar um perfil, mas que impeça de se saber quem o fez, garantindo que as competências “e mais-valias de cada pessoa sejam realmente validadas pelo mercado e pela sua rede de contactos e colegas“.

Para celebrar o lançamento da Powerupp, a uppOut deslocou-se até Londres (onde vão estar até ao próximo domingo), sem a sanita que tanto sucesso faz no Web Summit. Desta vez, a empresa decidiu enviar dois colaboradores nus. Na realidade, com fatos que parecem que quem os está a usar está nu.

Ação de marketing de guerrilha, levada a cabo pela uppOut em Londres, para celebrar o lançamento da Powerupp.uppOut

A ideia é, precisamente, transmitir a ideia de que esta aplicação chega para “trazer a ‘verdade nua e crua’ das pessoas ao mercado de trabalho“, sem fugir à realidade, uma vez que não há a possibilidade de um utilizador ser recomendado por algo que, na realidade, não sabe fazer ou não é assim tão bom.

Até ao momento, a Powerupp conta já com cerca de quatro mil utilizadores (sobretudo estrangeiros), mas pretende chegar ao milhão, revela Ricardo Paiágua.

Como funciona?

Instalada a aplicação (disponível tanto para iOS, como para Android), a Powerupp pede para que o utilizador responda a duas perguntas (“qual é a sua profissão” e “qual o nome da empresa onde trabalha”) e para que escolha um “emoji”, que vai servir como imagem de capa da sua conta. A aplicação dá depois a possibilidade ao utilizador de ir logo para o “feed” ou terminar de editar o perfil.

Concluídos estes passos, é tempo de se escolher seis competências (três “soft” e três “hard”) e três valores e preencher o que falta do perfil, como a data de nascimento, o número de telemóvel ou a formação académica.

É importante referir que cada uma das competências será, gradualmente, validada pela rede de contactos, sendo que um feedback positivo garante uma subida no ranking das competências profissionais. Depois de se alcançar um determinado nível, o utilizador poderá acrescentar mais competências ao seu perfil.

O último passo a dar é convidar amigos, familiares, colegas, ex-colegas ou chefes a fazer parte da rede de contactos.

Comentários ({{ total }})

Já conhece a nova concorrente do LinkedIn? Chama-se Powerupp e é… portuguesa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião