Crédito ao consumo cai pelo terceiro mês consecutivo

A travagem no crédito automóvel e na utilização dos cartões de crédito ditou a quebra na disponibilização de crédito para o consumo, em fevereiro, mostram os dados do Banco de Portugal.

O mês de fevereiro foi marcado por um novo recuo dos níveis de concessão de crédito ao consumo. Nesse mês, de acordo com dados disponibilizados pelo Banco de Portugal, os bancos e as instituições de crédito a operar em Portugal concederam um total de 488,7 milhões de euros em novos empréstimos. Este montante representa uma quebra de 1,17% face aos valores disponibilizados no mês anterior, e é também o mais baixo dos últimos sete meses.

Tratou-se do terceiro mês consecutivo em que o crédito as consumidores recuou, com a quebra a resultar sobretudo da diminuição da disponibilização de crédito para a compra de carro, mas também da finalidade de cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de descoberto. Neste último caso, a nova concessão baixou mais de 5%, entre janeiro e fevereiro deste ano, para se fixar nos 82,3 milhões de euros. No caso do crédito automóvel, a diminuição foi de 2,37%, para os 182,4 milhões de euros. Conjuntamente, estas duas finalidades de financiamento encolheram em perto de nove milhões de euros (8,99 milhões de euros), em fevereiro.

Crédito aos consumidores em queda

Fonte: Banco de Portugal

A diminuição da concessão de crédito para a compra de carro registada, em fevereiro, surge quase em sintonia com a inversão de marcha nas vendas de automóveis registada em março. Em termos homólogos, a venda de carros caiu 2,2% em março, invertendo pela primeira vez de sentido após quatro anos consecutivos de subidas.

No que respeita às restantes categorias de crédito aos consumidores, o rumo da concessão continuou a ser de subida, em fevereiro. No caso da finalidade de outros créditos pessoais — que engloba o financiamento sem finalidade específica, lar, consolidado e outras finalidades — a nova concessão aumentou 1,35%, para 220,4 milhões de euros, ajudando a travar a quebra no bolo global dos empréstimos.

Já o crédito pessoal com finalidade de educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos foi a categoria que registou o maior aumento da concessão: 8,73%. Contudo, esta finalidade é a menos representativa no total do crédito aos consumidores. Em fevereiro, os bancos e as instituições de crédito disponibilizaram um total de 3,6 milhões de euros em empréstimos com esse fim.

PUB

Comentários ({{ total }})

Crédito ao consumo cai pelo terceiro mês consecutivo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião