Cartão refeição: novo limite de isenção gera poupança adicional

  • ECO
  • 10 Janeiro 2017

Uma microempresa que utilize o cartão refeição no limite máximo de 7,23 euros por dia pode reduzir encargos até 4.155 euros por ano, mais 229 euros face a 2016.

Os novos limites de isenção aplicados aos cartões de refeição podem traduzir-se em poupança para empregadores e trabalhadores. Uma empresa com dez trabalhadores, por exemplo, vai poder reduzir os encargos com pessoal em mais de quatro mil euros por ano se utilizar o valor máximo. O dado é da SODEXO, que opera na área de benefícios e incentivos e disponibiliza um cartão refeição.

“De acordo com uma simulação da SODEXO, multinacional especializada em serviços de qualidade de vida, uma empresa com dez trabalhadores pode reduzir os seus encargos, com a utilização do cartão refeição no limite máximo de 7,23 euros por dia, até 4.155 euros por ano, um aumento de 229 euros anuais em relação ao regime em vigor até 2016“, indica um comunicado enviado às redações. O dado tem por base 22 dias úteis (em 11 meses) e uma taxa média de IRS de 23%.

“No mesmo cenário, os colaboradores, através da isenção total de TSU e IRS, beneficiam de um acréscimo de poder de compra que em 2017 pode chegar, com cartão refeição, aos 595 euros por colaborador“, avança ainda. A SODEXO disponibiliza um simulador que permite calcular a poupança fiscal para empresas e trabalhadores.

O subsídio de refeição está isento de impostos e contribuições até um limite de 4,52 euros se for pago em dinheiro (acima dos 4,27 euros que vigoravam em 2016). Mas se o pagamento for feito em cartão, a isenção sobe para 7,23 euros (6,83 euros em 2016).

PUB

Comentários ({{ total }})

Cartão refeição: novo limite de isenção gera poupança adicional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião