Bolsa avança. BCP sobe após cinco dias no vermelho

Praça lisboeta avança pelo segundo dia, apoiado na Jerónimo Martins e nas energéticas. BCP é, contudo, o destaque perante um avanço de quase 1% das suas ações.

A bolsa nacional arrancou em alta pela segunda sessão consecutiva, apoiada pela valorização da Jerónimo Martins e das energéticas, mas também pela primeira subida em seis sessões dos títulos do BCP.

O índice PSI-20 avança 0,52%, para os 4.616,45 pontos, com a retalhista liderada por Pedro Soares dos Santos a encabeçar os ganhos. As ações da Jerónimo Martins apreciam-se 1,37%, para os 16,28%. Um ganho que acontece depois de nesta quinta-feira, após o fecho do mercado, a retalhista ter reportado que as suas vendas preliminares relativas ao último trimestre de 2016 cresceram 9% relativamente ao mesmo período do ano anterior, apoiadas pela atividade da polaca Biedronka. “Confirmou-se a dinâmica observada na Polónia, tendo a Biedronka apresentado um crescimento de 10,50% das suas vendas, 1,70% acima das previsões. Em causa esteve o comportamento melhor do que o esperado das vendas comparáveis que aumentaram 11,90% face aos 7% previstos”, explica o BPI no seu diário de bolsa de hoje, referindo que o resultado superou em 2% as suas estimativas.

Contudo, o principal destaque desta sessão recai sobre os títulos do BCP que avançam pela primeira vez após cinco dias consecutivos no vermelho, período em que foram penalizados pelo aumento de capital do maior banco privado português. As ações do banco liderado por Nuno Amado sobem 0,97%, para os 83 cêntimos, depois de nesta quinta-feira ter sido publicado na CMVM o prospeto do seu aumento de capital. Neste documento o BCP diz que pretende voltar a pagar dividendos com base nos resultados que obtiver em 2018. O objetivo passa por distribuir pelo menos 40% dos lucros entre os acionistas.

As ações da Galp e da EDP e EDP Renováveis também contribuem para o desempenho positivo da praça lisboeta. As ações da petrolífera somam 0,42%, para os 14,30 euros, apesar das cotações do petróleo seguirem no vermelho. Já os títulos da elétrica liderada por António Mexia progridem 0,25%, para os 2,77 euros, enquanto a cotada liderada por Manso Neto valorizam 0,69%, para os 5,8 euros. Nota positiva, também para a Nos, cujos títulos aceleram 0,96%, para os 5,36 euros.

Em queda, destaque para os títulos da Mota-Engil que perdem 1,51%, para os 1,63 euros.

A praça lisboeta acompanha o sentimento das pares europeias que também inauguraram a última sessão da semana com ganhos.

(Notícia atualizada às 8:25 horas)

Comentários ({{ total }})

Bolsa avança. BCP sobe após cinco dias no vermelho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião