Morgan Stanley vai cortar bónus aos colaboradores

  • Leonor Rodrigues
  • 6 Janeiro 2017

Na sequência da quebra de negócio de ações registada nos primeiros nove meses do ano passado, várias empresas de Wall Street estão a cortar os custos. No Morgan Stanley os afetados vão ser os traders.

O Morgan Stanley vai cortar o montante reservado ao pagamento do bónus anual para a divisão de negociação de ações em cerca de 4% na sequência dos maus resultados do ano passado.

Os prémios anuais dos traders do maior banco de investimento norte-americano vão ser pagos já em fevereiro e a medida não é exclusiva do Morgan Stanley. Várias empresas de Wall Street estão a cortar os custos para melhorar os seus lucros, ainda na sequência da crise financeira que começou em 2008 e da quebra de negócio que se registou em 2016.

“Morgan Stanley e outros bancos dos EUA podem cortar os bónus dado que enfrentam um enfraquecimento da concorrência graças ao facto de os bancos europeus estarem ao abrigo da regulação sobre os bónus”, afirma Jason Kennedy, CEO da Kennedy.

As ações do Morgan Stanley caíram 3,5% para pouco mais de 6 mil milhões de dólares (cerca de 5,7 mil milhões de euros) nos primeiros nove meses do ano passado mas os resultados anuais de 2016 só vão ser apresentados no final deste mês. Por outro lado, o Citigroup, o Goldman Sachs e o Bank of America, por exemplo, perderam entre 12% e 14% do negócio. Na Europa, as perdas foram ainda mais acentuadas, com os maiores bancos de investimento a caírem mais de 20%. Já o JP Morgan foi o que menos perdeu: apenas 1%.

Comentários ({{ total }})

Morgan Stanley vai cortar bónus aos colaboradores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião