Tourism Explorers: a aceleração começa… agora

  • ECO
  • 8 Setembro 2017

O ECO esteve no Museu das Comunicações, na passada quarta-feira, para acompanhar o início da fase de aceleração do Tourism Explorers ,em Lisboa, que irá prolongar-se até 18 de outubro.

Preocupados com os estômagos dos turistas, Mário Tarouca e Inês Santos estão no Tourist Explorers à procura de acelerar a Breadfast, uma startup que entrega pequenos-almoços ao domicílio aos turistas hospedados em alojamentos locais. A tarefa é facilitada pelo programa já que, por falta de tempo ou de conhecimento da área, tem sido complicado o cumprimento dessa tarefa.

A startup é uma das 84 equipas que, durante as próximas oito semanas vão testar e validar o seu modelo de negócio no acelerador do Tourism Explorers. O programa, lançado pela Fábrica de Startups e pelo Turismo de Portugal em parceria com a Nos, chegou esta semana à fase de aceleração. Depois de ter estado em 12 cidades espalhadas por todo o país, as equipas selecionadas na primeira fase do programa instalaram-se em Lisboa para o início da fase de aceleração.

Fernando Azevedo é outro dos participantes. A mente por trás da QWIFI diz que a sua ideia surgiu da necessidade que as pessoas têm de ter internet gratuita. A ideia é simples: criar hotspots nos monumentos e nos pontos de interesse com informação explicativa da relevância dos mesmos, aos quais só é possível aceder ao responder a questões sobre cada ponto de interesse.

Rui Gomes, Luís Ensinas e Fernanda Zetil estão empenhados em resolver o problema do excesso de informação e de reviews às diferentes opções de hospedagem que aparecem na internet. Para tal, a startup GlobeStamp serve-se de uma base de dados alimentada por sites como Trip Advisor, Booking, Foursquare ou Skyscanner para planear as suas viagens e para filtrar os comentários que aparecem de forma a vermos apenas os dos nosso amigos.

Para além do entusiasmo dos participantes — que começam agora a validar o produto e a testar o modelo de negócio –, também António Lucena de Faria, sócio fundador da Fábrica de Startups, diz estar animado por ajudar as pessoas a tornarem-se empreendedores de sucesso e garantir que os seus negócios são devidamente validados. Quando questionado acerca de alguma ideia que se tenha destacado, António Lucena de Faria diz: “Aquilo que conta é o que os clientes dessas empresas, desses negócios, vão dizer sobre o projeto”.

Ao longo de oito semanas, mais de 200 empreendedores inseridos em 84 equipas, vão testar e validar os seus modelos de negócio. A grande final nacional terá lugar na Startup Braga, a 23 de outubro, e inclui a apresentação dos projetos vencedores das 12 cidades e a seleção do grande vencedor. O melhor projeto irá receber um incentivo de 10 mil euros para financiar o seu negócio e terá acesso à Web Summit.


O programa Tourism Explorers divide-se em duas fases — ideação e aceleração. E se, na primeira fase, são criadas novas soluções e organizadas as equipas para desenvolver os projetos (no fim da semana serão escolhidos as melhores soluções), a fase de aceleração que agora arranca prolonga-se por mais de um mês. A aceleração, que decorre entre 6 de setembro e 18 de outubro, anuncia os vencedores a 23 desse mês, na Startup Braga.

Para Luís Araújo, presidente do Turismo de Portugal, “o Tourism Explorers é uma oportunidade de levarmos a todo o território nacional a dinâmica do empreendedorismo — conforme temos definido na nossa estratégia — e ajuda a afirmar o turismo como motor de desenvolvimento de novos projetos e de novas ideias que geram novas oportunidades de emprego”.

Comentários ({{ total }})

Tourism Explorers: a aceleração começa… agora

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião