Combustíveis puxam inflação para máximos de 2012

  • ECO
  • 10 Fevereiro 2017

Os preços voltaram a acelerar no arranque deste ano. O INE revela um aumento de 1,3% em janeiro, impulsionado pela subida dos preços do combustíveis.

A subida dos preços dos combustíveis puxou pelos preços no arranque deste ano. De acordo com os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), a variação homólogo do índice de preços no consumidor (IPC) ascendeu a 1,3% no mês de janeiro, atingindo assim o nível mais elevado desde o último mês de 2012.

“A variação homóloga do IPC passou de 0,9% em dezembro de 2016 para 1,3% em janeiro de 2017, refletindo sobretudo a aceleração dos preços dos combustíveis”, refere o INE, salientando, no entanto, que excluindo produtos alimentares não transformados e energéticos, registou-se uma variação homóloga de 0,5%, taxa idêntica à do mês anterior. A taxa registada em janeiro é a mais elevada desde dezembro de 2012.

O agregado relativo aos produtos alimentares não transformados registou uma variação homóloga de 2,8% em janeiro (1,2% em dezembro de 2016), enquanto o índice referente aos produtos energéticos apresentou uma taxa de variação de 7,4% (4,0% no mês anterior). Ou seja, quase duplicou o aumento.

A um nível mais desagregado, por classes de despesa, o INE destaca “os aumentos das taxas de variação homóloga da classe dos transportes e dos produtos alimentares e bebidas não alcoólicas, com variações de 5,4% e 1,3%, respetivamente (1,9% e 0,6% no mês anterior)”.

Em sentido oposto, o INE aponta que registou-se uma “diminuição da taxa de variação homóloga da classe das comunicações e dos bens e serviços diversos com uma variação de 2,5% e -0,1%, respetivamente (5,2% e 0,4% no mês anterior)”.

(Notícia atualizada às 11h35)

 

PUB

Comentários ({{ total }})

Combustíveis puxam inflação para máximos de 2012

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião