BCP: Direitos afundam 40% na estreia em bolsa

Já arrancou a negociação dos direitos do aumento de capital do BCP. E se os títulos dispararam desde o destaque da cotação, na primeira sessão em bolsa estão a afundar.

Os direitos do aumento de capital do BCP estão a afundar mais de 40%. É uma queda acentuada depois da forte valorização destes títulos que permitem comprar 15 novas ações do banco liderado por Nuno Amado registada desde o destaque. A descida está a pressionar o BCP que recua 2,6% na bolsa de Lisboa.

Estes títulos foram destacados da ação do BCP no arranque da semana. À data, apresentavam um valor teórico de 66,5 cêntimos, sendo que com a forte valorização das ações nas últimas duas sessões chegaram ao mercado com um valor teórico de 1,005 euros. Estão a 58 cêntimos, uma queda de 42,3%. Abriram a 61 cêntimos.

Direitos em forte queda

direitos-01

Esta descida está a condicionar a negociação das ações do banco. Depois de uma valorização de mais de 17% em duas sessões, os títulos do BCP estão a cotar nos 15,8 cêntimos.

Por cada ação do BCP detida até final da sessão da segunda-feira, os acionistas recebem um direito que garante a subscrição de 15 novas ações. Com base na cotação atual dos direitos, o valor para subscrever cada uma é, em teoria, de 3,8 cêntimos mais o preço de subscrição das novas ações de 9,4 cêntimos. Ou seja, cada ação custa 13,23 cêntimos, um valor inferior à atual cotação do BCP na bolsa de Lisboa.

PUB

Comentários ({{ total }})

BCP: Direitos afundam 40% na estreia em bolsa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião