O ECO da Academia

  • ECO
  • 17 Outubro 2016

O ECO e as universidades de Coimbra, Minho e Porto vão disponibilizar informação sobre a economia portuguesa. O ECO da Academia será atualizado de forma regular por investigadores das universidades.

O ECO da Academia resulta de um acordo entre o ECO e investigadores das universidades de Coimbra, Minho e Porto e pretende disponibilizar um painel de informação síntese sobre o estado da economia portuguesa. Em que áreas? Produção, mercado de trabalho, contas públicas, contas externas e taxas de juro.

Para além de informação histórica, o ECO da Academia, a publicar a partir de meados de Novembro, disponibilizará informação e análise dos dados mais recentes da economia portuguesa no site do ECO.

A gestão e a análise técnica da informação do ECO da Academia é da responsabilidade dos investigadores das Universidades de Coimbra, Porto e Minho, suportado num protocolo entre as três universidades e o ECO.

A informação disponibilizada pelo ECO da Academia sobre o estado da economia portuguesa é retirada dos organismos oficiais responsáveis pela sua produção (Instituto Nacional de Estatística, Banco de Portugal, Direção Geral do Orçamento). A disponibilização de nova informação no site será acompanhada por uma análise dessa informação, produzida pelos referidos investigadores.

Saiba quais são os investigadores que integram a equipa do ECO da Academia:

  1. Anabela Carneiro (Universidade do Porto): Doutorada em Economia pela Universidade do Porto e Professora da Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É membro do Centro de Economia e Finanças da Universidade do Porto (cef.up) e da Comissão Científica do programa de doutoramento em Economia da FEP. Leciona e investiga nas áreas da Economia do Trabalho e da Econometria Aplicada. É autora de vários trabalhos publicados em revistas científicas de referência, tais como American Economic Journal: Macroeconomics, International Journal of Industrial Organization e Journal of Population Economics. Tem também colaborado na elaboração de vários relatórios técnicos sobre o mercado de trabalho para entidades como a Comissão de Coordenação da Região Norte, Ministério da Economia e Ministério do Trabalho de Moçambique.
  2. António Portugal Duarte (Universidade de Coimbra): Doutorado em Economia pela Universidade de Coimbra, na especialidade de Teoria Económica e Economia Internacional, iniciou a sua atividade profissional como auditor na empresa Arthur Andersen, atual Deloitte, tendo também exercido as funções de diretor-adjunto para a área financeira do Teatro Académico de Gil Vicente. Enquanto investigador, tem participado em várias conferências nacionais e internacionais, tendo publicado diversos artigos em revistas científicas internacionais sobre a economia portuguesa e o processo de integração europeia. Foi professor visitante na University of Economics em Bratislava, na Belgrade Banking Academy, Birkbeck College, University of London. É autor do livro “O Sistema Monetário Internacional: Uma Perspetiva Histórico-Económica”, Conjuntura Actual Editora, Coimbra.
  3. Artur Rodrigues (Universidade do Minho): Doutorado em Ciências Empresariais e mestre em Finanças pela Universidade do Minho e licenciado em Economia pela Universidade do Porto. É membro da unidade de investigação NIPE e desempenha desde 2011 o cargo de vice-presidente da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho, tendo assumido o cargo de presidente do Conselho Pedagógico da mesma Escola em Abril de 2013. Foi diretor adjunto do Departamento de Gestão. Colaborou, entre outras entidades, com o Tribunal de Contas, a Universidade de Cabo Verde e a Universidade Jean Piaget de Angola. Foi Auditor da Ernst & Young.
  4. Aurora Teixeira (Universidade do Porto): Doutorada pelo SPRU – Science Policy Research Unit, Universidade de Sussex (R.U.). É presidente do Agrupamento Científico de Economia da Faculdade de Economia, Universidade do Porto. Lecciona e investiga nas áreas da Macroeconomia e Economia e Gestão da Inovação. É investigadora do Centro de Economia e Finanças da Universidade do Porto (cef.up) e do OBEGEF | Observatório de Economia e Gestão de Fraude. É membro da Comissão Científica do Mestrado em Inovação e Empreendedorismo Tecnológico (FEUP/FEP), do corpo editorial do Journal of Academic Ethics e do Júri do Prémio de Excelência Pedagógica da Universidade do Porto. Publicou diversos livros, incluindo “Structural Change, Competitiveness and Industrial Policy. Painful lessons from the European Periphery” (Routledge, 2014) e artigos em revistas científicas, entre as quais: Research Policy (Financial Times Top50), Cambridge Journal of Economics, China Economic Review, Industrial and Corporate Change, Structural Change and Economic Dynamics, Ecological Economics, Regional Studies, Scientometrics. Obteve vários prémios, nomeadamente o Prémio Conselho Económico e Social e o 1º Prémio Foreign Direct Investment API-Universidade de Coimbra.
  5. Carlos Carreira (Universidade de Coimbra): Doutorou-se em Economia pela Universidade de Coimbra, em 2005, onde também obteve o título académico de agregado, em 2016. É professor na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e foi investigador visitante no ZEW – Centre for European Economic Research (em Mannheim, Alemanha), entre junho e julho de 2015, bolseiro na Carnegie Mellon University (em Pittsburgh, EUA), entre setembro e dezembro de 2011, e professor visitante nas Universidades de Pisa e Glasgow, em maio de 2014 e junho de 2009, respetivamente. Investiga nas áreas da microeconomia e economia industrial. É autor de diversos artigos e capítulos de livros sobre o desempenho das empresas portuguesas, onde se destacam os temas da produtividade, da inovação, das exportações, das restrições financeiras ao investimento e do nascimento e morte de empresas.
  6. Fernando Alexandre (Universidade do Minho): Doutorado em Economia pela Universidade de Londres – Birkbeck College, mestre e licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra. É pró-reitor para a Valorização do Conhecimento da Universidade do Minho e presidente da direção da TecMinho. Anteriormente exerceu as funções de presidente, de presidente do Conselho Pedagógico da EEG/UMinho e de diretor do departamento de Economia da UMinho. Entre 2013 e 2015 exerceu as funções de secretário de Estado adjunto do ministro da Administração Interna. Tem diversos artigos publicados em revistas científicas (Economics Letters, Scottish Journal of Political Economy, The World Economy, CESifo Economic Studies, entre outras) e livros sobre a economia portuguesa. No âmbito de trabalhos de consultoria, colaborou, entre outras entidades, com o Ministério do Trabalho e Solidariedade Social, Tribunal de Contas, Associação Portuguesa de Seguradores, Microsoft Portugal. Os resultados da sua investigação sobre a economia portuugesa têm sido noticiados nos media (Expresso, Público, Observador, Jornal de Negócios, RTP, TVI, entre outros) e colabora no blogue A Destreza das Dúvidas.
  7. Francisco Veiga (Universidade do Minho): Licenciado em Relações Internacionais Económicas e Políticas pela UMinho e doutorado em Economia pela University of South Carolina, ensina e investiga nas áreas de Macroeconomia, Economia Monetária Internacional, Economia Política e Crescimento Económico. É membro do corpo editorial do European Journal of Political Economy, tem vários artigos publicados em revistas científicas, entre as quais o Journal of Development Economics e a European Economic Review. Participou e coordenou vários projetos financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Membro eleito do Conselho Geral da UMinho, foi diretor do Núcleo de Investigação em Políticas Económicas, do Departamento de Economia, do Doutoramento, do Mestrado e da Licenciatura em Economia. Entre as atividades de consultadoria desempenhadas estão estudos para a Direção Geral das Autarquias Locais, Secretaria de Estado da Cultura e para a empresa Parque Escolar, E.P.E.
  8. João Cerejeira (Universidade do Minho): Doutorado em Economia pelo Instituto Universitário Europeu (Florença) em 2007. É membro do Departamento de Economia da EEG – UMinho e da unidade de investigação NIPE. Lecciona nas áreas da Economia Urbana, Economia do Trabalho e Econometria Aplicada. De 2013 a 2015 foi Vice-Presidente da EEG-UMinho, e Diretor da UMinho Exec, a unidade de educação de executiva da EEG – UMinho. Tem realizado trabalhos de consultoria para diversas entidades públicas e privadas e colaborado com os media na análise de assuntos económicos.
  9. Jorge Farinha (Universidade do Porto): MBA pelo INSEAD, Fontainebleau, França (1990) e Doutorado em Finanças pela Universidade de Lancaster, Reino Unido (1999). Desempenhou funções como analista financeiro na CISF – Companhia de Investimentos e Serviços Financeiros, diretor-adjunto no Departamento de Fusões e Aquisições do BPI – Banco Português de Investimento e consultor de empresas. Membro não executivo do Conselho de Administração da Martifer SGPS (desde 2008). Docente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto e da Porto Business School. Coordenador do programa de full-time MBA da Porto Business School (2002-2015) e vice-Presidente da Porto Business School (2009-2015). Tem artigos publicados em revistas científicas internacionais incluindo Journal of Business Finance and Accounting, Review of Financial Markets, European Journal of Finance, International Journal of Auditing, Journal of International Economic Law, Journal of Banking Regulation, Research in International Business and Finance. Tem participado em diversos programas televisivos como comentador de assuntos económicos e financeiros (Sic Notícias, Diário Económico TV, RTP).
  10. Linda Veiga (Universidade do Minho): Doutorada em Economia pela University of South Carolina (EUA), ensina e investiga nas áreas de Economia Política e Economia e Finanças Públicas. É membro da direção da European Public Choice Society. Coordenou diversos projetos de investigação financiados por entidades externas, nomeadamente pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Em 2013 recebeu o prémio de mérito na investigação, EEG/UMinho. Foi vice-presidente da EEG e diretora do Núcleo de Investigação em Políticas Económicas, do departamento de Economia, do doutoramento em Economia e do mestrado de investigação em Economia. Entre as atividades de consultadoria desempenhadas estão estudos para a Direção Geral das Autarquias Locais, Tribunal de Contas, Secretaria de Estado da Cultura, Comissão de Coordenação da Região Norte e Nações Unidas.
  11. Luís Aguiar-Conraria (Universidade do Minho): Doutorado em Economia pela Cornell University, mestre em Economia pela Universidade do Porto e licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra. Foi diretor do departamento de Economia e é, atualmente, vice-Presidente para a Investigação e Internacionalização da Escola de Economia e Gestão. Em 2011 recebeu o Prémio Gulbenkian para a Internacionalização das Ciências Sociais. Em 2010 e 2013 recebeu o Prémio de Mérito na Investigação, EEG/UMinho. Já recebeu diversas bolsas FCT para vários projetos. A última que recebeu é relativa a um projeto sobre ” Regras de votação e distorções eleitorais”, do qual é investigador principal e que conta com um financiamento de 95.000€ para três anos. É colunista do jornal Observador.
  12. Manuel Mota Freitas Martins (Universidade do Porto): Doutorado em Economia pela Universidade do Porto, e professor na Faculdade de Economia da Universidade do Porto e na Porto Business School. É membro da direção do Centro de Economia e Finanças da Universidade do Porto (cef.up). Investiga nas áreas dos ciclos económicos, políticas macroeconómicas, e da macro-finanças. Publicou em revistas tais como Journal of Economic Dynamics and Control, Journal of Banking and Finance, International Journal of Central Banking e Journal of Common Market Studies. Foi co-editor do livro “A Economia Portuguesa na União Europeia: 1986-2010” (Actual, 2014), autor do capítulo “A política monetária europeia e a economia portuguesa” do livro “Sem Fronteiras: Os novos horizontes da economia portuguesa” (Imprensa de Ciências Sociais, 2009) e co-autor do capítulo “A indústria” da História Económica de Portugal (1700-2000) Vol. III O Século XX (Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, 2005). Foi economista do departamento de Estudos Económicos da Associação Industrial Portuense e tem desenvolvido outras atividades de consultadoria na área da macroeconomia.
  13. Maria Manuel Pinho (Universidade do Porto): Doutorada, mestre e licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É docente na Faculdade de Economia da Universidade do Porto e investigadora do CEF.UP (Centro de Economia e Finanças da Universidade do Porto). Os interesses de investigação privilegiam as áreas da economia política e da política orçamental. Entre os trabalhos publicados, encontram-se ‘The political economy of intergovernmental grants: Evidence from a maturing democracy’, Public Choice, 2007, 133(3): 457-477 (em coautoria com Linda Veiga); ‘O poder local e a Europa’, in Em Nome da Europa (ed. Princípia), 2007 (em coautoria com Linda Veiga); ‘Monitoring regional development in a multidimensional perspective: an application to the Portuguese NUTS 3 level regions’, in Casos de Desenvolvimento Regional (ed. Princípia), 2011 (em coautoria com Francisco Vala); ‘A relação entre o produto e o desemprego: evidência nacional e regional em Portugal’, Revista Portuguesa de Estudos Regionais, 2015, 38 (em coautoria com Manuel Correia de Pinho). Exerce funções técnicas no Instituto Nacional de Estatística.
  14. Marta Simões (Universidade de Coimbra): Licenciada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Mestre em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra e Doutorada em Economia pela Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra. É autora ou coautora de mais de 40 publicações em revistas, capítulos de livros e atas de congressos com arbitragem pelos pares. Faz arbitragem de artigos para várias publicações nacionais e internacionais. Tem uma experiência na docência de 20 anos, lecionando unidades curriculares na área da Macroeconomia a diferentes graus de ensino (licenciaturas, mestrados, doutoramentos, MBA) e orientou mais de quarenta dissertações de mestrado. Desempenha atualmente funções de coordenadora do Mestrado em Economia da FEUC.
  15. Miguel Portela (Universidade do Minho): Doutorado em Economia pela Universidade de Amesterdão, Mestre em Economia pela Universidade do Minho e Licenciado em Economia pela Universidade do Porto. É diretor do Programa de Doutoramento em Economia da Universidade do Minho e foi vice-Presidente da Escola de Economia e Gestão. É, igualmente, afiliado do NIPE, CIPES e IZA, Bona. Tem em curso uma colaboração com o Banco de Portugal. Os seus interesses de investigação centram-se nas áreas de Economia do Trabalho e da Educação e Econometria Aplicada. Tem diversos artigos científicos publicados em revistas de referência, incluindo Econometrica, Scandinavian Journal of Economics e Regional Studies. Tem em curso colaborações com equipas de investigação internacionais, lidera equipas investigação, tendo elaborado relatórios de apoio a elaboração de políticas públicas sobre salário mínimo, educação e emprego no mercado de trabalho português. Tem, adicionalmente, experiência de consultoria, tanto para instituições públicas, como para o setor privado, incluindo Microsoft, Associação Portuguesa de Seguradores, Ministério da Economia e Organização Internacional do Trabalho.
  16. Nelson Areal (Universidade do Minho): Doutorado em Finanças e Contabilidade pela Universidade de Lancaster; Mestre em Gestão com especialização em Finanças Empresariais pela Universidade do Minho e Licenciado em Gestão pela Universidade do Minho. Iniciou a carreira como Auditor Informático da Ernst & Young. É actualmente Director do Departamento de Gestão da Escola de Economia e Gestão da Universidade do Minho. Participou em vários projectos de investigação financiados pela FCT. Conta com diversos artigos publicados em revistas científicas, de entre outras: European Journal of Finance, International Journal of Finance & Economics, Journal of Derivatives, Journal of Futures Markets, Journal of Business Ethics, Review of Derivatives Research e Quantitative Finance.
  17. Nuno Silva (Universidade de Coimbra): Licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra e Doutorado em Economia Financeira pela Nova School of Business and Economics.
  18. Nuno Sousa Pereira (Universidade do Porto): Professor na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Doutorado em Microeconomia Aplicada pela Wharton School da Universidade da Pensilvânia e Mestre e licenciado pela Faculdade de Economia da Universidade do Porto, investiga nas áreas da Economia da Saúde e da Economia Pública, tendo vários projetos financiados pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT). Publicou em revistas como o Journal of Health Economics, Health Affairs, Journal of Development Economics e International Journal of the Economics of Business‬, entre outros. Foi Professor Visitante na Wharton School. Exerceu várias funções nos setores público e privado, nomeadamente as de Presidente da direção da Porto Business School, diretor-geral do Gabinete de Planeamento, Estratégia, Avaliação e Relações Internacionais do Ministério das Finanças e representante de Portugal no Banco Europeu de Investimentos e nos Comités de Política Económica da União Europeia e da OCDE.
  19. Pedro Bação (Universidade de Coimbra): Doutorado em Economia pela Universidade de Londres – Birkbeck College e licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra. Investiga nas áreas da macroeconomia e da econometria. Publicou diversos artigos científicos em revistas como Studies in Nonlinear Dynamics & Econometrics, Economis Letters, Scottish Journal of Political Economy, entre outros, e é co-autor dos livros A Crise Financeira Internacional (Imprensa da Universidade de Coimbra) e Crise e Castigo (Fundação Francisco Manuel dos Santos).
  20. Pedro Gil (Universidade do Porto): Doutorado em Economia pela Universidade do Porto, e professor na Faculdade de Economia da Universidade do Porto. É membro da direção do Centro de Economia e Finanças da Universidade do Porto (cef.up), como esearch diretor de Macroeconomia e Crescimento. Investiga nas áreas de crescimento económico, I&D e dinâmica industrial. Publicou em revistas como Macroeconomic Dynamics, Oxford Economic Papers, Economics Letters, Journal of Macroeconomics e Journal of Evolutionary Economics, entre outras. Na FEP, tem leciona, entre outras, unidades curriculares de Macroeconomia (Licenciatura em Economia e Doutoramento em Economia), Economia Matemática (Doutoramento em Economia), Crescimento Económico (Licenciatura em Economia) e Ciclos e Crescimento Económico (Mestrado em Economia). Foi economista do Gabinete de Estudos Económicos da Associação Empresarial de Portugal. Enquanto consultor académico, participou em projetos junto da Junta Metropolitana do Porto e do Ministério das Finanças. Como consultor independente, participou em vários projetos no domínio dos estudos sectoriais e da competitividade empresarial e territorial.
  21. Sandra Silva (Universidade do Porto): Sandra T. Silva é Doutorada em Economia pela Universidade do Porto, professora na Faculdade de Economia da Universidade do Porto e investigadora do CEF.UP (Centro de Economia e Finanças da U.Porto). Publicou um livro pedagógico de Macroeconomia, alguns capítulos de livros e artigos relacionados com desigualdade e crescimento económico, inovação e crescimento económico, modelização multiagentes e mercado de trabalho, e a economia evolucionista, publicados em revistas internacionais tais como World Development, Journal of Evolutionary Economics, Journal of Economic Surveys, The Journal of Development Studies, Economic Modelling, The Singapore Economic Review, Journal of Business Economics and Management, Journal of Economic Interaction and Coordination, entre outras. Tem lecionado vários cursos na FEP, por exemplo, Macroeconomia (Licenciatura em Economia e em Gestão, Mestrado e Doutoramento em Economia), Desenvolvimento Económico (Mestrado em Economia), Crescimento Económico (Licenciatura em Economia) e Teorias e Sistemas de Inovação (Mestrado em Economia e Gestão de Inovação).

Comentários ({{ total }})

O ECO da Academia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião