“Europa perde um pouco de si”, diz Jean-Claude Juncker

  • Lusa
  • 7 Janeiro 2017

O presidente da Comissão Europeia salientou que a vida do seu "amigo Mário" Soares se confunde "com episódios marcantes do processo de construção da UE" e que a Europa perde um pouco de si.

O presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, salientou hoje que a vida do seu “amigo Mário” Soares se confunde “com episódios marcantes do processo de construção da União Europeia” e que a Europa perde um pouco de si.

A vida de Mário Soares, disse Juncker, em comunicado, “confunde-se com a história recente de Portugal e com episódios marcantes do processo de construção da União Europeia”.

Para Juncker, Soares foi “orgulhosamente português” e “orgulhosamente europeu”, destacando ainda que “com o seu desaparecimento, Portugal e a Europa perdem um pouco de si”.

Numa nota pessoal, Juncker destacou também que “o meu amigo Mário nunca virou a cara à luta e às responsabilidades de um democrata”.

O presidente da Comissão Europeia destacou, também, “a resistência à ditadura e a luta determinada por uma transição do seu país para a democracia”, considerando Soares “símbolo e artífice deste processo”.

“Mário Soares contribuiu para tornar irreversível um processo de democratização que alastraria pelo Sul da Europa e que colocou Portugal, mas também Espanha e Grécia, no caminho da adesão ao projeto europeu, âncora desses valores democráticos”, considerou.

“A vida de Mário Soares deixa-nos na altura em que celebramos os 30 anos da adesão de Portugal à então Comunidade Económica Europeia onde, sem surpresa, é o seu nome que consta do tratado de adesão”, escreveu.

O antigo Presidente da República Mário Soares morreu hoje aos 92 anos, no Hospital da Cruz Vermelha, onde se encontrava internado desde o dia 13 de dezembro.

Mário Soares desempenhou os mais altos cargos no país e a sua vida confunde-se com a própria história da democracia portuguesa: combateu a ditadura, foi fundador do PS e Presidente da República.

Nascido a 07 de dezembro de 1924, em Lisboa, Mário Alberto Nobre Lopes Soares foi fundador e primeiro líder do PS, e ministro dos Negócios Estrangeiros após a revolução do 25 de Abril de 1974.

Primeiro-ministro entre 1976 e 1978 e entre 1983 e 1985, foi Soares a pedir a adesão à então Comunidade Económica Europeia (CEE), em 1977, e a assinar o respetivo tratado, em 1985. Em 1986, ganhou as eleições presidenciais e foi Presidente da República durante dois mandatos, até 1996.

Comentários ({{ total }})

“Europa perde um pouco de si”, diz Jean-Claude Juncker

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião