Code Week: Empresas dão mais valor ao ensino da programação

A poucos dias do começo da Semana Europeia da Programação em Portugal, Bruno Ferreira, embaixador, revelou que há "mais empresas interessadas em organizar eventos" para ensinar a programar.

Ensinar programação informática e, quem sabe, ajudar a combater o desemprego no longo prazo. A Semana Europeia da Programação (Code Week) começa já este sábado, 15 de outubro, para ensinar milhões de pessoas em todo o mundo a falarem a linguagem dos computadores — isto é, a programar. ‘Todo o mundo’ porque desde 2014 que a iniciativa se estendeu para lá do Atlântico. Por cá, em Portugal, estão registados perto de 65 eventos, mas o número “tudo leva a crer que o número irá aumentar”, revelou ao ECO Bruno Ferreira, embaixador da Code Week em Portugal. No total, são já quase sete mil.

A iniciativa realizou-se pela primeira vez em 2013, promovida, na altura, pelos “jovens consultores da Agenda Digital” da Comissão Europeia — entidade que ainda apoia o projeto. Este ano, as escolas já não são as únicas interessadas no projeto. “Em Portugal, o tipo de eventos alterou-se ligeiramente. Tivemos mais empresas interessadas em organizar eventos e grande parte deles a envolver também as universidades”, avançou Bruno Ferreira. “É um bom sinal. A comunidade educativa já despertou para a importância do ensino da programação e vimos que as próprias empresas também”, disse.

Porque é que é importante aprender a programar? Os organizadores referem que “os profissionais das TIC [Tecnologias da Informação e Comunicação] são um pilar fundamental da força de trabalho moderna em todos os setores da economia europeia”. Ao abrigo dos números, que apontam “um crescimento anual de 3%” na procura de profissionais desta área, os organizadores indicam que “o número de licenciados em informática” não tem acompanhado essa procura.

Além disso, como “aquele número redondo dos 825 mil postos de trabalho por preencher em 2020 [na área das Tecnologias da Informação] mantém-se”, diz Bruno Ferreira, referindo-se aos alertas da Comissão Europeia no que toca à economia digital, a Code Week pode lançar as sementes para uma maior formação profissional na área das TIC, embora o embaixador português recorde que esta “não é uma questão que se resolva a curto prazo”.

Ainda é possível registar eventos para esta maratona de programação. À semelhança das edições anteriores, estes terão de ser organizados individualmente por quem os registar — empresas, escolas, universidades e por aí em diante. Também não podem ter fins lucrativos. Mas se a sua ideia é participar, o site da iniciativa inclui a lista completa dos eventos em Portugal. De resto, o grande projeto de Bruno Ferreira continua: tentar que a programação informática integre os programas curriculares do ensino público português.

Comentários ({{ total }})

Code Week: Empresas dão mais valor ao ensino da programação

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião