Inflação continua a desiludir Banco do Japão

Os preços dos produtos japoneses continuaram a cair em novembro. Uma leitura que mostra o desafio que o Banco do Japão está a enfrentar para impulsionar a inflação.

A inflação continua a desiludir o Banco do Japão. Os preços caíram pelo nono mês consecutivo em novembro, assim como o consumo também diminuiu. Esta leitura mostra que os esforços do banco central não estão a ser suficientes para combater a deflação.

Dados divulgados mostram que o índice de preços no consumidor (IPC), excluindo alimentos frescos — o principal indicador da inflação do Banco do Japão — caiu 0,4% em novembro, em comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com a Bloomberg. O mercado previa uma queda de apenas 0,3%.

Esta leitura mostra que está a aumentar a diferença entre os preços e o alvo para a inflação de 2% do banco central japonês. Um objetivo que o banco já disse que só deve alcançar depois de 2018. No entanto, os economistas dizem que a inflação deve tocar um mínimo e depois recuperar. Uma recuperação que deverá beneficiar da descida do iene, subida dos preços globais do petróleo e melhoria do mercado de trabalho em 2017.

“Não há qualquer alteração ao nosso cenário base de que o IPC vai subir em resposta [às oscilações] cambiais e subida dos preços do petróleo“, diz Masaki Kuwahara, economista sénior da Nomura Securities Co.

Quanto ao consumo, a leitura foi igualmente fraca. Os gastos das famílias diminuíram 1,5% em comparação com o período homólogo.

PUB

Comentários ({{ total }})

Inflação continua a desiludir Banco do Japão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião