João Galamba diz esperar ser “o homem certo” para secretário de Estado da Energia

  • Lusa
  • 24 Outubro 2018

Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica", diz João Galamba.

O novo secretário de Estado da Energia, João Galamba, disse esta terça-feira esperar ser “o homem certo” para tutelar a pasta governamental do setor, escusando-se a responder às críticas à sua nomeação.

“Sou o homem que neste momento está na Energia e espero que seja o homem certo”, disse João Galamba aos jornalistas, em Serpa, no distrito de Beja, depois de ter sido questionado sobre se é o homem certo para ser secretário de Estado da Energia.

Instado pelos jornalistas a reagir às críticas à sua nomeação como secretário de Estado da Energia, no âmbito da recente remodelação do Governo, João Galamba respondeu: “Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica”.

Não tenho de responder às críticas, tenho de fazer o meu trabalho e isso será a resposta a toda e qualquer crítica.

João Galamba

Secretário de Estado da Energia

Questionado sobre as principais medidas da proposta de Orçamento do Estado para 2019 no setor da energia, João Galamba disse “há medidas que são já conhecidas”, como a “de redução do défice tarifário, portanto, de redução do preço da eletricidade”, que “é uma das medidas importantes deste Orçamento”.

João Galamba falava à margem da última de uma série de sessões que o Governo, liderado pelo socialista António Costa, promoveu entre a passada sexta-feira e hoje para apresentar a proposta de Orçamento do Estado para 2019 a militantes do PS. Foram aas primeiras declarações de João Galamba aos jornalistas após ter tomado posse, na passada quarta-feira, como secretário de Estado da Energia.

Comentários ({{ total }})

João Galamba diz esperar ser “o homem certo” para secretário de Estado da Energia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião