Incubadoras, Fab Labs e BA’s: conheça os números do ecossistema empreendedor de Lisboa

Em 2017, nasceram três vezes mais empresas do que as que foram dissolvidas em Lisboa. Ecossistema já conta com mais de 500 projetos incubados na cidade.

Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara. ma inauguração da 7.ª Semana do Empreendedorismo de Lisboa.Paula Nunes/ECO

Em Lisboa existem, em 2018, 18 incubadoras de startups, mais de 14 programas de aceleração, seis Fab Labs e outros espaços para makers e mais de 50 espaços de coworking, anunciou esta tarde a Câmara Municipal de Lisboa. Os números foram anunciados esta segunda-feira, na sessão de abertura da 7.ª Semana de Empreendedorismo de Lisboa. O programa completo da semana pode ser consultado aqui.

“Passaram sete anos desde que a cidade de Lisboa tomou várias decisões estratégicas e a criação da divisão de economia e inovação da câmara de Lisboa. É a comunidade de todos os criativos, inovadores, makers, que escolheram Lisboa para desenvolver as suas ideias e os seus projetos”, explicou Duarte Cordeiro, vice-presidente da Câmara de Lisboa.

A semana do empreendedorismo, inaugurada hoje, tem como objetivo “replicar e discutir os bons exemplos. Grande parte da força de Lisboa reside nesta comunidade“, afirmou o responsável. De acordo com os dados revelados, “Lisboa é uma cidade que cresce a um ritmo acelerado. Falamos de criação de emprego de qualidade que permite reter e produzir talento dentro da comunidade. Estamos a reter e queremos importar talento”. Em Lisboa existem cerca de 100.000 empresas e cerca de 45.000 sociedades, de acordo com dados do INE. Na rede de incubadoras estão integradas, de momento, mais de 500 startups fundadas por mais de 700 empreendedores.

Inauguração da 7.ª Semana do Empreendedorismo de Lisboa.Paula Nunes/ECO

Além dos projetos, Paulo Soeiro de Carvalho sublinhou o crescimento do número de business angels e outros investidores a financiar projetos baseados em Portugal. No top 5 dos investidores estão a Caixa Capital, a Portugal Ventures, a Faber Ventures, a Seedrs e o programa Portugal 2020.

“O que foi feito em Lisboa acho que é um bocadinho extraordinário”, disse Paulo Soeiro de Carvalho, sobre o processo dos últimos sete anos. “A cidade está a encaminhar-se, através dessas empresas, para setores de serviços e de criatividade”, acrescentou o vereador da Economia e da Inovação da autarquia.

Na inauguração da Semana do Empreendedorismo de Lisboa, que vai contar com cerca de 30 eventos, 50 parceiros, e onde estão esperadas cerca de 5.000 pessoas por toda a cidade, Duarte Cordeiro acrescentou ainda que a cidade se prepara para continuar o trabalho feito até agora. A estratégia passa pelos seguintes eixos:

  • Alargar a área de escritórios na cidade, fundamental para as grandes empresas ou pequenas startups
  • Desenvolver projetos específicos para acelerar o licenciamento de escritórios e também ser promotores destes projetos
  • Incentivar universidades com um fundo de cinco milhões de euros para promover o que significa a atratividade das universidades para a promoção do conhecimento e tecnologia
  • Fazer de Lisboa um living lab, colocando a cidade à disposição da experimentação
  • Desenvolver a comunidade criativa
  • Continuar a desenvolver a comunidade através da plataforma Made of Lisboa

 

Comentários ({{ total }})

Incubadoras, Fab Labs e BA’s: conheça os números do ecossistema empreendedor de Lisboa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião