Há um autêntico jardim zoológico nos mercados financeiros. Descubra que tipo de investidor é

Nem imagina a quantidade de animais espalhados pelos mercados financeiros. Dê um passeio por este jardim zoológico da bolsa e descubra que tipo de investidor é.

Para muitos, a bolsa é uma selva. E, na realidade, há muitos animais que andam à solta nos mercados financeiros. Desde o urso e o touro, os mais conhecidos da generalidade dos investidores, até outros mais estranhos como a ovelha, o panda ou até a tartaruga. Dê com o ECO um passeio pelo jardim zoológico dos ecrãs de negociação.

Touro para ganhar na bolsa

O touro é, talvez, o animal mais conhecido nos mercados financeiros. E é também aquele de que todos os investidores gostam. Usado para representar um cenário de bull market, este animal traduz um mercado onde há otimismo e confiança, com tendência a valorizar. Por definição, há um bull market quando determinado mercado se encontra a valorizar mais de 20% desde o mínimo atingido nos últimos seis meses. Mas, porquê o touro? Devido à forma como o animal ataca com os cornos, de baixo para cima.

Todos têm medo do urso

Contrariamente ao bull market, existe o bear market, onde há um movimento de retração e desconfiança por parte dos investidores. Por definição, num bear maket, determinado ativo está a desvalorizar mais de 20% desde o máximo alcançado nos últimos seis meses. Um cenário que se pode assemelhar à forma de ataque do urso, o movimento das garras faz-se de cima para baixo.

Urso e touro frente a frente, junto à bolsa de Frankfurt, na Alemanha.

Seja um grande investidor, um tubarão

Assim como no mar, o papel do tubarão nos mercados financeiros é o mesmo: liderar. O animal é usado para fazer referência aos grandes investidores dos mercados, que têm o poder de decidir o rumo da bolsa e cujo único objetivo é lucrar o máximo possível. Tal como na vida real, os tubarões aproveitam-se dos investidores mais pequenos para conseguirem lucros mais elevados, acabando por passar para outras oportunidades de imediato.

Sardinha, o peixe-miúdo das bolsas

A sardinha funciona nos mercados financeiros como um pequeno investidor, ou peixe-miúdo. Contrariamente ao tubarão, que representa o peixe-graúdo, a sardinha representa os investidores que procuram ganhos simbólicos, quando comparados com os dos tubarões. Muitas vezes acabam por ser “engolidos” pelos tubarões.

Abutres à caça de oportunidades

Os abutres dos mercados são aqueles que, tal como na vida real, se aproveitam das empresas que ninguém quer. Podem ser investidores ou fundos que normalmente apostam em empresas que atravessam dificuldades financeiras ou ações com valores muito baixos. A sua estratégia de investimento passa pela aquisição deste tipo de ativos problemáticos, pelo menor valor possível. Após isto, procuram tornar essas empresas viáveis através da venda dos seus ativos. Feito isto, vendem novamente as empresas para obterem lucros.

É improvável? É um cisne negro

Os cisnes negros dos mercados requerem cuidado e atenções redobradas. Este animal representa um acontecimento que é praticamente impossível de prever e que, quando acontecer, vai trazer consequências catastróficas. O último acontecimento deste tipo aconteceu em 2008, no crash sofrido nos mercados financeiros norte-americanos.

Seja rápido com um veado

De maneira semelhante aos rápidos movimentos do veado, este tipo de investidor é aquele que compra e vende ações num IPO (Oferta Pública Inicial, em português) num prazo muito curto, de forma a obter lucro muito rapidamente. Os investidores esperam que a negociação das ações no mercado arranque para vender a um preço bastante superior ao pago no IPO.

E você? É uma galinha?

Este é, talvez, o mais comum dos investidores. A galinha representa o investidor que tem medo do risco do mercado de ações e que prefere manter-se em instrumentos financeiros mais seguros, como depósitos bancários.

Quem muito quer, tudo perde… porco

O porco representa o investidor que é a antítese do investidor do tipo galinha. Os porcos não têm medo do risco, são impacientes e estão dispostos a assumir um risco mais elevado ao investir com base em conselhos e dicas do momento. Querem lucrar da forma mais rápida possível e estão sempre a investir de forma precipitada. Normalmente são os que costumam sair mais prejudicados.

Os investidores sem escrúpulos, os lobos

Apesar de ainda pouco usual, o lobo é normalmente usado para se referir ao tipo de investidor sem medo e destemido do mercado, que é capaz de tudo para conseguir lucrar. Normalmente são investidores poderosos e, muitas vezes, até criminosos. O mais recente “lobo” foi Jordan Belfort, condenado por fraude e manipulações de ações. A sua vida luxuosa e os seus crimes foram retratados recentemente no filme “O Lobo de Wall Street”.

A ovelha que segue o rebanho

A ovelha representa, normalmente, aquele investidor que faz parte de um conjunto de investidores e que não tem a sua própria estratégia de mercado. Por norma, gosta de estar rodeado por outros investidores e acompanha os seus movimentos de mercado. Este tipo de investidor não gosta de pensar, mas gosta de seguir os outros. Procuram lucrar, mas preferem ir atrás dos restantes companheiros e seguir as suas tendências.

Enfiar a cabeça na areia. Adivinhe que investidor é?

O investidor avestruz faz exatamente o mesmo que o animal faz na realidade. Este tipo de investidor enfia a cabeça na areia e ignora completamente tudo o que de negativo está a acontecer nos mercados e que pode afetar os seus investimentos. O termo “efeito avestruz” é usado para se referir ao facto de como os investidores permanecem na esperança de que um mercado com tendências negativas não o afete diretamente.

Da China chegam as obrigações panda

O panda não representa no mercado financeiro um tipo de investidor. Representa, sim, um tipo de obrigações. Estas obrigações são emitidas por empresas estrangeiras no mercado chinês e surgem denominadas em yuan, a moeda local da China. São chamadas as Panda Bonds. No passado mês de setembro, Portugal anunciou que vai avançar com uma emissão de dívida de 380 milhões em moeda chinesa.

E da Austrália as obrigações canguru

O canguru assemelha-se ao panda, mas representa obrigações que são emitidas por empresas estrangeiras no mercado australiano e surgem denominadas em dólares australianos. São chamadas as Kangaroo Bonds.

Devagar se vai ao longe, diz o investidor tartaruga

A tartaruga representa o tipo de investidor mais lento, em todos os aspetos. É lento para comprar e lento para vender. O investidor tartaruga procura realizar vendas e investimentos no maior espaço de tempo possível, trocando o menor número de ativos. Preocupam-se com os resultados a longo prazo.

 

PUB

Comentários ({{ total }})

Há um autêntico jardim zoológico nos mercados financeiros. Descubra que tipo de investidor é

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião