Crise na Uber. Agora demitiu-se o nº2

  • ECO
  • 20 Março 2017

"Agora é bastante claro para mim que os valores e forma de atuar que têm guiado a minha carreira não estão de acordo com o que vi e vivi na Uber, e não posso continuar como presidente do negócio".

Jeff Jones, até agora presidente da Uber, apresentou a demissão menos de um ano depois de ter entrado na empresa. Em causa estão as várias polémicas em que tem estado envolvido e que têm denegrido a imagem da companhia, não só nos Estados Unidos, de onde é originária, como no resto do mundo.

Além das polémicas e da má fama que começava a ganhar, a decisão de Jeff Jones, que era presidente desde setembro do ano passado, de sair da Uber foi alimentada pelas declarações mais recentes de Kalanick, o atual presidente executivo, que disse que ia procurar “ajuda para a liderança” da empresa através da contratação de um Chief Operating Officer (COO).

“Depois de anunciarmos a nossa intenção de contratarmos um COO, o Jeff chegou à dura conclusão de que não via o seu futuro na Uber“, esclareceu o CEO num email enviado aos funcionários, e citado pela Bloomberg (conteúdo em inglês) onde também referia que Jones “deixou uma importante marca na companhia”.

De recordar que algumas das polémicas em que a empresa se viu envolvida incluem acusações de assédio sexual e um “ambiente de trabalho tóxico”. E depois de a Bloomberg ter publicado, a 28 de fevereiro deste ano, um vídeo em que se via Kalanick a repreender um dos seus motoristas, o CEO prometeu que procuraria “ajuda para a liderança” e que estava a planear contratar um COO.

Em declarações ao site Recode (conteúdo em inglês) Jones, que já tinha sido diretor de marketing na Target Corp., antes de chegar à Uber, justificou a demissão: “Agora é bastante claro para mim que os valores e forma de atuar que têm guiado a minha carreira não estão de acordo com o que vi e vivi na Uber, e não posso continuar como presidente do negócio”.

E Jones não sai sozinho: Brian McClendon, o vice-presidente responsável pelos mapas utilizados pelos condutores da empresa, anunciou num comunicado que também vai deixar a companhia.

PUB

Comentários ({{ total }})

Crise na Uber. Agora demitiu-se o nº2

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião