Suborno de 38 milhões põe herdeiro da Samsung atrás das grades

Jay Y. Lee, vice presidente da Samsung foi preso na Coreia do Sul. É acusado de suborno, perjúrio e peculato.

A Samsung sofreu um abano no topo da sua gestão. O vice-chairman, Jay Y. Lee foi detido sob as acusações de suborno, perjúrio e peculato, colocando em causa a sua ascendência à liderança do maior fabricante de smartphones do mundo, de acordo com a Bloomberg.

A ordem de prisão foi declarada no início desta sexta-feira, devido ao risco de destruição de provas e de fuga do responsável da empresa sul coreana, segundo comunicou o Tribunal Distrital Central de Seul. Entre passos processuais e recursos, deverão demorar em torno de 18 meses até a que se seja proferido a sentença.

De acordo com as investigações já efetuadas, o vice-presidente da Samsung estará envolvido no pagamento de 43 mil milhões de won (cerca de 35 milhões de euros) a uma amiga próxima da Presidente sul coreana Park Geun-hye, em troca do apoio do Governo à sua sucessão na liderança dos destinos da Samsung. Aquilo que a investigação quer perceber é se Jay Y. Lee, neto do fundador e filho do presidente da Samsung, de facto deu dinheiro em troca desse apoio, numa altura em que tentava consolidar o seu poder no conglomerado empresarial. De salientar que Lee Jae-Yong tornou-se patrão de facto da Samsung, depois de o seu pai, ainda presidente da Samsung, ter sofrido um ataque de coração em 2014.

Os investigadores estão à procura de indícios para tentar provar que os pagamentos feitos pela Samsung foram usados para ter luz verde do Governo à controversa fusão entre duas das suas entidades em 2015. A fusão, que juntou a C&T e a Cheil Industries, foi denunciada por várias acionistas, que consideraram que a C&T foi deliberadamente desvalorizada.

“Iremos fazer o nosso melhor de modo a assegurar que a verdade é revelada em futuros procedimentos do tribunal”, afirmou a Samsung num comunicado citado pela Bloomberg. Apesar da detenção de Jay Y. Lee, as ações da Samsung não foram muito penalizadas. O máximo que estiveram a perder na sessão sul coreana foi 1,21%. Terminaram a desvalorizar 0,42%, até aos 1.893 won.

Contudo, a detenção de Jay Y. Lee é mais uma pedra no sapato para a a empresa que ainda tenta recuperar dos problemas com o Galaxy Note 7, cujas baterias explodiam.

Comentários ({{ total }})

Suborno de 38 milhões põe herdeiro da Samsung atrás das grades

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião