Matos Correia demite-se da Comissão de Inquérito à CGD

  • ECO e Lusa
  • 16 Fevereiro 2017

O presidente da Comissão de Inquérito anunciou a saída da presidência da Comissão de Inquérito da CGD por questões "de princípios" e por considerar que as minorias não têm sido respeitadas.

“Todos temos um limite. O meu limite foi ultrapassado ontem”. José Matos Correia apresentou a demissão da presidência da Comissão de Inquérito à Caixa Geral de Depósitos. A demissão, apresentada ao presidente da Assembleia da República Ferro Rodrigues, foi justificada pelo jurista por considerar que “as minorias não estão a ser respeitadas”.

Para o deputado, que afirmou não estar a demitir-se por razões políticas mas sim por uma questão de princípio, o bloqueio da maioria de esquerda ao pedido do PSD e do CDS para ter acesso aos emails e SMS de Mário Centeno representa um impedimento dos “direitos das minorias”, o que subverte o objetivo das comissões parlamentares de inquérito. José Matos Correia diz que “o que se passou no interior da reunião”, afirmou, “com grupos maioritários que se arrogaram o direito de interpretar de acordo com os seus objetivos o objeto da comissão”, fê-lo chegar à conclusão de que permanecer na comissão “violentaria a [sua] consciência”.

Esta é a primeira vez que um presidente de uma comissão de inquérito se demite do cargo em Portugal. Para hoje às 18 horas está marcada uma reunião da comissão. Caberá agora ao PSD e ao CDS, enquanto os partidos que requereram a constituição da comissão, decidir como será escolhido o próximo presidente.

Questionado pelos jornalistas acerca da demissão de José Matos Correia, o Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa, que apelara a que a questão da CGD fosse considerada “encerrada”, optou por não comentar.

Já ontem o deputado do PSD afirmara estar a refletir acerca da sua permanência na presidência da comissão de inquérito, por ter dúvidas de que “o apuramento da verdade esteja a acontecer”. E acrescentou: “Não é segredo para ninguém que tenho divergências sobre a forma como os trabalhos da comissão têm decorrido. Entendo que os acontecimentos verificados nos últimos dias merecem uma reflexão”.

Ferro Rodrigues “lamentou, mas compreendeu”

O presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, “lamentou, mas compreendeu” o pedido de demissão. Segundo a fonte do gabinete do presidente do parlamento, no encontro que antecedeu a conferência de imprensa em que o deputado social-democrata Matos Correia anunciou a demissão, Ferro Rodrigues teve ocasião de lhe “expressar admiração e simpatia”.

Ferro Rodrigues já contactou o líder parlamentar dos sociais-democratas, Luís Montenegro, o qual ficou de lhe comunicar ainda esta tarde alguma decisão sobre os trabalhos.

Notícia atualizada às 13.30 com declarações do presidente da Assembleia da República.

PUB

Comentários ({{ total }})

Matos Correia demite-se da Comissão de Inquérito à CGD

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião