Portugueses nunca pediram tanto crédito ao consumo

Automóvel e outros créditos pessoais suportaram o crescimento da concessão registado no ano passado. No total, foram disponibilizados quase seis mil milhões de euros em crédito aos consumidores.

Os portugueses apostaram em força no crédito ao consumo no ano passado. Dados divulgados esta quarta-feira pelo Banco de Portugal indicam que, em 2016, a concessão de novo crédito aos consumidores aumentou perto de 18%, com o valor total a aproximar-se dos seis mil milhões de euros. Ou seja, o montante mais elevado pelo menos desde 2012, período a que remontam os dados disponibilizados. O crédito automóvel e os outros créditos pessoais são as categorias que mais contribuem para esse crescimento.

Os cálculos da entidade liderada por Carlos Costa que contabilizam o crédito disponibilizado aos consumidores pelos bancos e pelas financeiras indicam que ao longo de 2016 foram disponibilizados 5.965 milhões de euros neste tipo de empréstimos, 17,48% acima dos 5.078 milhões de euros verificados em 2015. A maior parcela desta quantia foi disponibilizada para o financiamento da compra de carro e para créditos sem finalidade específica, lar e consolidados, as duas finalidades que mais suportaram o aumento das quantias emprestadas. Segue-se assim uma tendência que já se tinha registado em 2015.

Crédito ao consumo em alta

Fonte: Banco de Portugal

O aumento dos níveis de concessão de crédito aos consumidores insere-se num contexto de melhoria da perceção da realidade económica do país, mas também de aposta das instituições financeiras na disponibilização de crédito. Basta visitar os sites dos bancos e estar atentos às campanhas publicitárias que estes promovem para ter noção dessa tendência, com as instituições financeiras a cumprirem com a ordem do Banco Central Europeu de injetar liquidez no mercado num ambiente de juros historicamente baixos.

A categoria que inclui créditos sem finalidade específica, lar e consolidados que representou quase 43% do total de empréstimos aos consumidores no ano passado, cresceu em 15,5% em termos da concessão. No total, foram disponibilizados aos consumidores 2.551 milhões de euros em crédito com essa finalidade, acima dos 2.209 verificados no ano anterior.

Já o crédito automóvel cresceu em termos globais 27%, com as quantias disponibilizadas a ascenderem aos 2.312 milhões de euros, em 2016, acima dos 1.820 milhões registados no período homólogo. Um crescimento que acompanha a subida das vendas de carros registada no ano passado em Portugal. De acordo com dados da ACAP, o número de carros vendidos no ano passado aumento em 15,8%, em Portugal.

Contudo, a subida do crédito aos consumidores é transversal a todas as finalidades. No caso do segmento dos cartões de crédito, linhas de crédito, contas correntes bancárias e facilidades de crédito, o aumento foi de 3,6%, com o total dos empréstimos a ascender a 1.050 milhões de euros, acima dos 1.014 registados em 2015. Mas foi no crédito pessoal para educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos — o segmento menos relevante em termos dos valores de financiamento — onde se observou o maior crescimento das quantias disponibilizadas. Entre 2015 e 2016, subiram 56%, para totalizar 50,9 milhões de euros.

PUB

Comentários ({{ total }})

Portugueses nunca pediram tanto crédito ao consumo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião