Caldeira Cabral: “O PSD está em contramão com os portugueses”

O ministro da Economia salienta os resultados alcançados pelo Governo e garante que as empresas e consumidores estão mais confiantes.

A economia portuguesa está melhor e os portugueses também. E o PSD não gosta disso. “O PSD está em contramão com os portugueses”, critica o ministro da Economia, Manuel Caldeira Cabral, que está a ser ouvido, esta manhã, na Comissão de Economia, Inovação e Obras Públicas.

O ministro respondia assim a António Costa e Silva, deputado do PSD, que disse que Caldeira Cabral “quer colocar a geringonça a andar na autoestrada, mas, de cada vez que o Governo colocou a geringonça na autoestrada, colocou-a em contramão”.

Na resposta, Caldeira Cabral enumerou os resultados alcançados pelo atual Governo. “Diz que falta confiança às empresas. É curioso que as empresas estejam a investir mais e tenham menos confiança neste Governo e na economia do país“, começou.

"As perspetivas das instituições internacionais não estão favoráveis para os profetas da desgraça.”

Manuel Caldeira Cabral

Ministro da Economia

“Fala de um modelo económico errado, mas os dados económicos, em particular os do terceiro e quarto trimestre do ano passado, dão sinais muito positivos, quer de crescimento económico, quer de relançamento do investimento”, acrescentou. Ao mesmo tempo, “as perspetivas de investimento do Instituto Nacional de Estatística são as mais elevadas dos últimos nove anos”, o que “demonstra bem que as empresas e os consumidores estão com mais confiança“.

O ministro da Economia criticou ainda a palavra “desgraça”, ouvida várias vezes na bancada do PSD. “Mais uma vez, o PSD está em contramão. Oiçam as empresas. As empresas não estar a dar credibilidade aos profetas da desgraça. As pessoas percebem, os indicadores desmentem, as perspetivas das instituições internacionais não estão favoráveis para os profetas da desgraça. Saiam da contramão”, apelou Caldeira Cabral.

PUB

Comentários ({{ total }})

Caldeira Cabral: “O PSD está em contramão com os portugueses”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião