Apple aumenta 25% os preços da App Store depois do Brexit

  • Ana Luísa Alves
  • 17 Janeiro 2017

Esta não é a primeira vez que a Apple aumenta os preços no Reino Unido desde o Brexit e desde que a libra caiu perto de 18% face ao dólar. Em outubro aumentou os preços dos Mac.

A Apple aumentou em 25% os preços das aplicações na App Store, consequência do Brexit. Em causa está a desvalorização que se tem sentido na libra desde a votação que, em junho passado, ditou a saída do Reino Unido da União Europeia.

Os novos preços praticados têm em conta a paridade entre a libra e o dólar, pelo menos no que toca às apps nos sistemas iOS e Mac. Uma app que custe 0,99 dólares nos EUA, e que antes custava no Reino Unido, 0,79 libras, vai passar a custar 0,99 libras.

A Apple anunciou este aumento de preços num email enviado aos criadores das aplicações, esta terça-feira, e acrescentou que, “quando mudam as taxas de câmbio estrangeiras, há necessidade de alterar os preços das apps na App Store”, cita o The Guardian.

A empresa referiu ainda que os novos preços vão entrar em vigor nos próximos sete dias, dando aos utilizadores a possibilidade de ainda ter as aplicações que desejarem aos preços ainda praticados, e mais baixos.

O The Guardian adianta ainda que é possível que subam os preços noutras lojas Apple Store, como é o caso da iTunes Store, para música e vídeo, e na iBooks Store, para livros.

Desde a votação do Brexit, que ditou a saída da União Europeia, a libra caiu para mínimos de quase 30 anos. Isto revela uma queda de 18,5% face ao dólar.

Mas esta não é a primeira vez que a Apple aumenta os preços no Reino Unido: em outubro os computadores da Apple, os Mac, passaram a ser vendidos num valor 20% acima do preço praticado noutros países.

Comentários ({{ total }})

Apple aumenta 25% os preços da App Store depois do Brexit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião