EMEL quer pôr a blockchain a agilizar o estacionamento. Já tem três ideias para o fazer

  • ECO
  • 18 Junho 2018

O "EMEL Mobility Challenge" lançou o desafio a empresas, startups e estudantes para encontrar soluções com potencial para mudar o estacionamento. Já selecionou três propostas.

Já foram apuradas as ideias para a próxima fase do “EMEL Mobility Challenge”, programa apadrinhado pela EMEL, Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa. As ideias que passaram à fase seguinte têm, agora, até ao dia 20 de julho para aprofundar a solução que pretende mudar o estacionamento.

Os vários desafios promovidos pela Aliança Portuguesa de Blockchain têm recebido propostas de grande qualidade, mostrando que Portugal e os portugueses conseguem desenvolver soluções inovadoras numa tecnologia nova e disruptiva”, explica, em comunicado, Rui Serapicos, da Aliança Portuguesa de Blockchain.

Entre as propostas a concurso encontram-se soluções como, por exemplo, a integração dos dados da titularidade de um automóvel e do dístico de estacionamento de entidades como a EMEL e o IMT, numa única blockchain privada. Assim, seria possível garantir a privacidade dos dados dos cidadãos, bem como o cumprimentos adequado dos requisitos legais da EMEL e do IMT. “As propostas apresentadas para o desafio promovido pela EMEL mostram que a blockchain pode chegar facilmente a todos os setores e indústrias, como é o caso da mobilidade”, acrescenta Rui Serapicos.

O “EMEL Mobility Challenge” pretende chegar a soluções de mobilidade assentes na blockchain, a tecnologia que está na base da bitcoin e de outras criptomoedas. O que se espera é conseguir interligar os registos de propriedade automóvel numa determinada área de influência e os registos de dísticos da EMEL para essa mesma área de influência. O desafio EMEL insere-se na Aliança Portuguesa de Blockchain, promovida pela CIONET Portugal, e é direcionado a empresas, empreendedores e estudantes.

Criar uma identidade em blockchain pode possibilitar um maior controlo, às empresas e indivíduos, sobre quem e quais as informações que possui e como acedê-las. Como esta tecnologia se relaciona com todas as funcionalidades e desafios associados com a identificação e a verificação de transações, a blockchain apresenta-se como uma oportunidade única para fazer coincidir a titularidade de um automóvel com um dístico de estacionamento específico.

Mas afinal, o que é blockchain?

A blockchain é uma tecnologia inovadora que permite registar, de forma transparente e descentralizada, listas de transações. Estas são armazenadas e validadas de forma segura, distribuídas sem os dados serem guardados num servidor ou validados por uma única entidade. Pelo contrário, os dados são armazenados e validados por uma rede distribuída de computadores que resolvem complexos problemas matemáticos.

A tecnologia é, particularmente, adequada para situações em que é necessário conhecer e rastrear um registo de propriedade de um determinado ativo. Também pode ajudar a resolver o problema da pirataria de ativos digitais.

Comentários ({{ total }})

EMEL quer pôr a blockchain a agilizar o estacionamento. Já tem três ideias para o fazer

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião