Direitos dos trabalhadores do Infarmed serão “absolutamente salvaguardados”

  • Lusa
  • 23 Novembro 2017

Adalberto Campos, ministro da Saúde, diz que as decisões políticas o Governo “têm em conta aquilo que são os interesses legítimos dos trabalhadores”.

O ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, garantiu que os direitos dos trabalhadores serão “absolutamente salvaguardados”, na questão da polémica sobre a transferência do Infarmed para o Porto.

Questionado pelos jornalistas sobre a decisão que tem a oposição de quase todos os trabalhadores da Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed), o ministro afirmou que nas decisões políticas o Governo “têm em conta aquilo que são os interesses legítimos dos trabalhadores”.

“Eles serão absolutamente salvaguardados”, afirmou, à margem da posse do novo presidente da Cruz Vermelha Portuguesa, Francisco George.

“Naturalmente que agora há um tempo para avaliação, para estudo, e sobretudo uma mensagem de tranquilidade”, disse o ministro.

Na quarta-feira o coordenador da Comissão de Trabalhadores do Infarmed, Rui Spínola, disse que a quase totalidade dos funcionários do Infarmed não concorda com a transferência da instituição para o Porto e 92% dizem estar indisponíveis para a mudança.

Na terça-feira o ministro da Saúde anunciou que a sede do Infarmed vai ser mudada de Lisboa para o Porto, a partir de 01 de janeiro de 2019.

PUB

Comentários ({{ total }})

Direitos dos trabalhadores do Infarmed serão “absolutamente salvaguardados”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião