CMVM nomeia auditor para definir preço da OPA à Media Capital

Regulador dos mercados nomeou auditor independente para fixar a contrapartida mínima que a Meo/Altice terá de oferecer pelas ações da Media Capital.

A CMVM nomeou um auditor independente para fixar a “contrapartida mínima a oferecer” pela Meo na oferta pública de aquisição que lançou sobre a Media Capital, a dona da TVI. Isto depois de a Altice ter chegado a acordo com a Prisa para a compra de cerca e 95% do grupo de media português”, tendo oferecido 2,5546 euros por cada título na bolsa.

Num comunicado, o regulador indica que “a deliberação assenta na impossibilidade de determinar a contrapartida por recurso aos critérios referidos” na lei. Mais especificamente a baixa liquidez dos restantes 5% de capital dispersos na bolsa de Lisboa, o que “faz presumir, por si só, a falta de equidade da contrapartida fixada com base nesses valores”.

A Altice, dona da PT e da Meo, ofereceu 440 milhões de euros pelo grupo, numa operação de consolidação que tem sido uma tendência lá fora. Nos termos da lei nacional, foi obrigada a lançar uma oferta sobre o restante capital da empresa. Desta forma, o regulador pretende que seja determinado um preço equilibrado entre o negociado pelas empresas e o que será oferecido aos restantes acionistas.

Este é um dos negócios do ano em Portugal. O processo está, neste momento, a tramitar entre os vários reguladores. A Autoridade da Concorrência está responsável pelo dossier e já pediu um parecer à Entidade Reguladora para a Comunicação Social, que terá um parecer vinculativo se optar por chumbar a compra.

(Notícia atualizada às 10h28 com mais informação)

PUB

Comentários ({{ total }})

CMVM nomeia auditor para definir preço da OPA à Media Capital

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião