CDS acusa PS de ter aprendido pouco com o caminho que levou à bancarrota

  • Lusa
  • 12 Janeiro 2017

Para Assunção Cristas, os resultados da emissão de dívida são motivo de preocupação, apelando a um caminho de "contas em ordem" e "dívida a diminuir".

A líder do CDS-PP disse hoje que os resultados da emissão de dívida, com uma taxa de juro de 4,227%, significam que o Governo do PS aprendeu pouco com o “caminho” que levou Portugal à bancarrota.

“É razão para a nossa preocupação. Isto demonstra que o Partido Socialista aprendeu muito pouco com o caminho que nos levou à bancarrota. É preciso lembrar que sem contas em ordem e sem dívida a diminuir – um caminho que parece que foi abandonado por este Governo de forma significativa – nós não ficamos tranquilos em relação ao nosso futuro”, disse Assunção Cristas quando questionada pelos jornalistas sobre a emissão de dívida de longo prazo realizada na quarta-feira pelo IGCP- Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública.

Assunção Cristas disse também que o CDS-PP vai continuar a sinalizar a situação porque, no que diz respeito à dívida pública, sublinhou, “o caminho não parece ir no bom sentido”. A líder do CDS-PP falava com os jornalistas à margem de uma visita efetuada hoje ao Hospital de Santa Maria, em Lisboa.

O Estado português emitiu na quarta-feira Obrigações do Tesouro que vencem a 14 de abril de 2017, tendo conseguido uma taxa de 4,227% naquela que foi a primeira emissão de longo prazo do ano.

A emissão foi na quase totalidade para investidores internacionais, sobretudo europeus.

PUB

Comentários ({{ total }})

CDS acusa PS de ter aprendido pouco com o caminho que levou à bancarrota

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião