Terrenos: Tomás Correia constituído arguido

  • ECO
  • 7 Janeiro 2017

O Expresso diz que banqueiro é um dos dois arguidos num processo de alegada burla com terrenos financiados pelo Montepio e o BES.

António Tomás Correia foi constituído arguido pelo Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP), diz o Expresso. O banqueiro é um dos dois arguidos num novo inquérito-crime relacionado com créditos concedidos pelo Montepio e o BES para a compra de terrenos na Amadora.

O DCIAP efetuou buscas durante esta semana. “Investigaram-se factos relacionados com o financiamento concedido por Montepio Geral e BES a um fundo para aquisição de terrenos”, disse em comunicado, acrescentando que “foram constituídos dois arguidos”. Um deles, diz o semanário, é Tomás Correia.

Há suspeitas de crimes de burla qualificada, abuso de confiança, branqueamento de capitais, fraude fiscal e corrupção num negócio de financiamento bancário para a compra de um urbanização e terrenos em Alfragide, no concelho da Amadora, refere o jornal, salientando que a investigação teve origem em documentos encontrados em buscas da “Operação Marquês” que tem como protagonista José Sócrates.

Para além de Tomás Correia, que esteve à frente do Montepio entre 2008 e 2015, o Expresso refere que foi constituído um segundo arguido, um construtor civil da Amadora, Jorge Silvério.

Comentários ({{ total }})

Terrenos: Tomás Correia constituído arguido

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião